Cultura e Ciência

Cursos de Comunicação do UNASP apresentam novo diretório acadêmico

Criação dos Centros Acadêmicos visa a melhoria da representação dos alunos junto à coordenação.

Texto: Gabrielle Ramos Venceslau | Edição: Theillyson Lima

O UNASP campus Engenheiro Coelho oficializou, nesta última quinta-feira (15), a criação do novo diretório acadêmico para os cursos de Rádio e TV, Publicidade e Propaganda e Jornalismo. Após perceber a necessidade de centros acadêmicos, a coordenadora dos respectivos cursos, Sâmela Lima e sua adjunta, Jenifer Costa, anunciaram a novidade para os alunos durante a Jornada de Comunicação deste ano, que apresenta o tema “sustentabilidade”.

Novo diretório acadêmico foi apresentado na abertura da jornada de comunicação. Foto: Luís Huaman

As coordenadoras explicam que a criação dos centros visam a melhoria da representação dos alunos junto à coordenação. Pois a partir dos  centros,  os estudantes podem ajudar nas programações e eventos de maneira mais direta, além de propor novas ideias ou até mesmo reclamações construtivas. No geral, essas atividades serão desenvolvidas pelas chapas nomeadas, mas todos podem ser colaboradores.

Centros Acadêmicos e Diretório Acadêmico

Um Centro Acadêmico (CA) é uma entidade de representação estudantil de um curso de nível superior, sem fins lucrativos e regulamentado por lei federal. Já o diretório acadêmico (DA) representa os estudantes de diversos cursos de uma mesma faculdade. As duas entidades organizam atividades acadêmicas extra-curriculares, realizam projetos de extensão, encaminham reivindicações ou mediam negociações com a coordenação da instituição, dentre outras ações. 

Desde 2018, o CAJU (Centro Acadêmico de Jornalismo) cumpre as funções citadas acima. E a partir deste ano, o CARU (Centro Acadêmico de Rádio e TV) e CAPU (Centro Acadêmico de Publicidade e Propaganda) também foram criados com o mesmo objetivo. Assim, originando o Diretório Acadêmico de Comunicação Social e Jornalismo do UNASP, campus Engenheiro Coelho.

Importância dos Centros Acadêmicos 

A coordenadora dos cursos de Comunicação Social e Jornalismo explica que a partir das propostas e iniciativas feitas pelo CAJU, surgiu a ideia da criação dos novos centros acadêmicos. “A gente está estimulando essa ideia desde 2020, mas a pandemia deu uma segurada. Já esse ano, viemos com mais força e os alunos se animaram. Assim, deu certo o surgimento desses centros acadêmicos”, conta.

Para que um curso funcione, para que seja dinâmico e continue sempre melhorando e crescendo, além de atender a necessidade dos alunos, é essencial ter a representatividade discente, expõe Sâmela. Afinal, “ a relação  entre coordenação, professores e alunos é o que faz o curso acontecer. Não é apenas o  professor, a coordenação ou a instituição. Dessa forma, os centros acadêmicos conseguem trazer um ‘pouquinho’ além da representatividade de turma”, complementa. 

Por isso, a partir de agora a coordenação pretende fazer ainda mais ações focadas nos cursos especificamente. Os CAs promoverão mais workshops, palestras e outras atividades extra curriculares. “Junto com a coordenação e com os professores, os centros acadêmicos acabam permitindo que nós tenhamos novas iniciativas que vão promover um curso cada vez melhor pros alunos que já estão aqui e pros alunos que virão no futuro”, finaliza Sâmela.

Alunos demonstram empolgação diante da novidade  

Lucas Pazzaglini , estudante do quarto semestre do curso de Jornalismo, conta que no semestre passado a chapa possuía uma formação diferente, contudo, algumas pessoas precisaram sair ou realocar funções. Foi assim que ele se tornou o atual presidente do CAJU. “A partir do Centro Acadêmico de Jornalismo, a gente vê o que os alunos podem fazer e promove momentos ou programações, e isso é muito legal”, enfatiza.

Além disso, diante da criação dos novos centros acadêmicos para cursos de Comunicação Social, Lucas expõe que o Centro Acadêmico possibilita o  envolvimento dos alunos e o desenvolvimento de suas capacidades. Uma vez que, “o aluno precisa participar dentro do curso, porque ele está aqui para aprender principalmente, mas também para devolver alguma coisa para a universidade onde está estudando”, complementa.

O estudante do sexto semestre de Rádio TV, Matheus Miranda, conta que ficou muito animado ao saber da criação dos novos centros. Após ver um recado no grupo do seu curso, decidiu criar uma chapa para concorrer à diretoria do CARU, a qual se tornou presidente. “Agora que foi criado o CARU, a gente vai dar o nosso melhor para fazer as coisas”, afirma. 

Milena Brum, estudante de Publicidade e Propaganda do sexto semestre, diz nunca ter visto um Centro Acadêmico de Publicidade e Propaganda desde que entrou na universidade em 2020. “O Centro Acadêmico é algo que possibilita atender todas as turmas, tendo em mente a melhoria do curso, então o aluno fica bem mais a vontade para conversar sobre melhorias ou possíveis reclamações e elogios”, afirma. Este foi um dos motivos para que Milena topasse o desafio, proposto por um colega de curso, para estar na presidência do CAPU. Sua chapa foi formada com um representante de cada turma.

Os centros planejam atividades para o futuro. O CAJU pretende, além das programações normais, promover palestras interessantes e a atuação mais presente nas aulas magnas. Já o CAPU quer, primeiramente, ter o feedback dos alunos para saber das necessidades deles. Por último, o CARU promete dar o melhor naquilo que for necessário.

Alunos do CAJU, centro acadêmico de jornalismo Foto: Luís Huaman

Veja mais

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.